2013 cinema em gêneros – Parte 2

destaque
destaque
Essa segunda parte da lista dos melhores filmes de 2013 separados por gêneros vem com as melhores animações, ficções cientificas, filmes baseados em quadrinhos, biografias e aventuras/fantasias. Logo a baixo a lista:

Animação

animacao

1 – Universidade Monstros – Na verdade a Pixar nunca caiu de qualidade de verdade, mas deixou um gosto amargo depois de fazer o caça-níquel “Carros 2” e depois emular a Disney no mediano “Valente”. Mas agora com esse “Universidade Monstros” ela recupera um pouco o seu folego com um filme ao mesmo tempo engraçado, inteligente e emocional (claro que sem atingir genialidade do Wall-e, UP ou Toy Story 3).

2 – Os Croods – Bem feito, inventivo e engraçado. Mas não consegue atingir a mistura exata bem dosada de emoção e humor dos ótimo “Kung Fu Panda 2” ou do espetacular “Como Treinar seu Dragão”, mas ainda “Os Croods” é um ótimo entretenimento.

3 – Batman Cavaleiro das Trevas – Parte 1 e 2 – Os filmes da DC Comics de animação, feitos direto para home vídeo, baseados em clássicos são bem feitos e fieis a suas fontes. Enfim mesmo com as suas limitações as animações em geral tem um resultado positivo.

3 – História de amor e fúria – Animação brasileira tem seus problemas, mas o resultado funciona e merece ser visto.

Quadrinhos (Super heróis)

quadrinhos

1 – O homem de aço – Essa repaginada do Superman para cinema tem tom mais realista (dentro possível), explicando suas origens, colocando dilemas emocionais no caminho do personagem e muita cenas de ação com a cortesia do diretor Zack Snider (Watchmen, 300). Moral da história: ótimo filme, ainda que com problemas, é fácil o melhor longa de herói do ano.

2 – Wolverine: Imortal – James Mangold (Cop Land, 3:10 To Yuma) é um ótimo diretor de aluguel ele fez o que pode e construiu um filme elegante e bem feito nesse segundo capitulo da saga do Wolverine nos cinemas. Mas o roteiro esquemático e manjado quase estraga brincadeira. Quase. O filme funciona pelo menos para tirar o gosto ruim que ficou do primeiro do herói no cinema.

3 – Thor 2: O mundo Sombrio – No ano em que o carro chefe da Marvel “o homem de ferro” rendeu um filme muito fraco. O selo de qualidade Marvel se fez valer com esse bom e divertido “Thor 2”. Mas a torcida por um futuro melhor está nos “Guardiões da galaxia” e “Capitão America 2”.

Biografias

bio

1 – Capitão Phillips – Paul Grangress (Trilogia Bourne, Domingo Sangrento) fez valer seu talento na direção e de uma história simples arrancou excelentes interpretações e construiu o filme mais tenso do ano. Realmente desesperador!

2 – A hora mais escura – Kathryn Bigelow é uma baita diretora. Jessica Chastain é uma da melhores atrizes da geração. “A hora mais escura” conta uma história real complicada de forma inteligente e intensa. Um filmaço sobre obsessão, intrigas politicas e terrorismo. Um longa de fazer de jus aos clássicos investigativos políticos da década 70.

3 – Behind of Candelabra – Behind of Candelabra é um ótimo e extravagante (como devia ser) telefilme sobre Wladziu Valentino Liberace. Com atuações brilhantes e personagens cheios nuanças complicações. Um belo resultado cinematográfico dirigido com inteligencia e atuações muito acima da média.

4 – Rush – Se para cada merda como “Código da Vinci” Ron Howard entregar perolas como “Rush” e “Frost/Nixon” fico satisfeito. Um filme de uma produção impecável, elenco super afiado, direção eletrizante e narrativa muito bem escrita.

5 – O voo – A volta de Robert Zemeckis (De volta para o futuro, Forrest Gump) aos filmes live action é um drama muito inteligente e com um roteiro excelente. O filme deslisa feio no final, mas até lá temos um dos melhores filmes do ano.

Ficção Cientifica

ficcao

1 – Gravidade – Não se tem muito o que falar. Empolgante, sufocante, tecnicamente perfeito, atuações fortes… Uma aula de cinema sem precedentes!

2 – Star Treck: Além da Escuridão – J. J. Abrams fez mágica de novo. Levou para outro nível o senso de aventura no espaço e fez um filme ainda melhor que anterior. Nesse filme tem tudo o que deu certo no anterior: ótima dinâmica entre os personagens, direção estilosa e bem feita, referencias a série clássica, forte carga emocional e cenas ação muito bem realizadas. Só que agora com adicional de um vilão emblemático e super inteligente vivido por Benedict Cumberbatch.

3 – Guerra Mundial Z – Apesar de todos os problemas que cercaram a produção “Guerra Mundial Z” conseguiu se firmar e se tornar ótimo filme. Isso é devido a força e carisma de seu protagonista e a direção urgente do versátil Marc Forster (Caçador de Pipas, A ultima Ceia). O resultado foi um eletrizante e divertido longa. Entretenimento de primeira!

4 – Circulo de Fogo – A volta do diretor nerd favorito de todo mundo Guilherme Del Toro (Labirinto do Fauno e Hellboy 1 e 2) é uma declaração de amor aos filmes de monstros. Dentro dessa proposta o filme se sustenta e diverte muito, embora o roteiro extremamente convencional nos faça lembrar que nem tudo é perfeito.

3 – Jogos Vorazes: Em chamas – Quem diria que o dito novo “Crepúsculo” teria força própria e se tornaria um ótimo filme. E ganharia uma continuação ainda melhor que anterior, discutindo coisas pertinentes e realização muito acima da média. Isso é fruto dos ótimos diretores envolvidos, material de qualidade da obra original, roteiros espertos e principalmente elenco que leva a coisa a sério.

Aventura / Fantasia

aventuras

1 – O Hobbit: A desolação de Smaug – A segunda parte do Hobbit segue o mesmo ritmo, agora como mais ação e tom épico (que agora se aplica melhor devido as ameaças que se tornam maiores). Divertido, bem realizado, uma bela aventura.

2 – Kon Tiki – Poderia encaixar esse filme nas biografias, mas preferi por ele aqui. Por que ele é uma aventura muito bem feita e empolgante. Ótimo filme!

3 – Blancanieves – Essa fabula gótica, filmada em preto e branco e muda, é o filme que Tim Burton ta devendo deste “Peixe Grande”. Uma ótima releitura do clássico conto de fadas. Muito poético e emocional.

4 – Oz – Mágico e Poderoso – Essa nova versão do clássico mágico de Oz dirigida por Sam Raimi (Homem Aranha 1, 2 e 3) se saí melhor que os outros filmes de contos de fada genéricos (Alice, as duas versões americanas de Branca de neves e etc) por causa do roteiro inteligente que da um tom farsesco a trama e faz ligações inteligentes com original. A direção de Raimi esta no ponto exato criando uma homenagem ao original e brincando com trash (como de costume na obra do diretor). O melhor filme americano dessa onda contos de fada, nem é que isso queira dizer muita coisa, mas é um bom filme.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam