Beleza Roubada de Bernardo Bertolucci

2495222182_861e108918_o
2495222182_861e108918_o
Bernardo Bertolucci é um dos grandes cineastas italianos em atividade.

O primeiro filme seu que vi foi Antes da revolução (1964).
Beleza roubada(1996) foi o segundo. E me lembro como se fosse hoje.
A sensibilidade de Bertolucci ao conduzir a historia,as paisagens italianas e presença iluminada da atriz Liv Tyler em cada cena me encheu os olhos.

O poético roteiro de Bernardo Bertolucci e Susan Minot conta a história de Lucy, uma jovem garota americana que após o suicídio de sua mãe escritora,viaja para Itália onde irá passar um tempo com velhos amigos da família.
Praticamente todos os personagens são artistas num filme que fala o tempo todo sobre arte e sentimentos e como é impossível separá-los.

Lucy tem dois objetivos: descobrir quem é seu verdadeiro pai e reencontrar um antigo namorado, seu primeiro amor com quem trocava cartas.

O espírito poético do filme mostra aos poucos a inocência e o mistério contidos na personagem Lucy.
Ela se torna o centro das atenções uma vez que a família de artistas descobre que Lucy é virgem.
Como os italianos encaram a sexualidade de forma mais liberal,a virgindade da jovem provoca a curiosidade de todos ao seu redor.

Ela se torna a menina dos olhos não só para a família, mas para quem a assiste também.
Jeremy Irons faz Alex, um poeta doente, no fim da vida que se torna amigo e uma espécie de mentor para Lucy.
A interpretação de Jeremy é ótima. Seu olhar vazio, o tom de voz mostrando fragilidade.
Bertolucci consegue mostrar em seus filmes, a sexualidade de forma simples,bela e natural.
Ele nos mostra o sexo com muita naturalidade e bem distante de rótulos culturais e religiosos que o vêem o como algo sujo e profano.
Enquanto vários casais o fazem, Lucy escreve o que ela sente em pedaços de papeis e depois os joga fora ou queima.

Na trilha sonora a ótima música Glory Box da banda britânica Portishead.
O filme não é só poético pelo roteiro mas imageticamente também.
A fotográfica tem cores fortes que acompanham a personalidade da protagonista mescladas as lindas paisagens italianas.As cores são vivas até nos momentos mais dramáticos do roteiro.
A técnica de Bertolucci na direção é detalhista,aproveitando o máximo da expressividade dos atores e envolvendo-os na trama através de planos fechados e cenas repetidas que mostram a profundidade no olhar dos personagens,principalmente de Lucy.

Beleza roubada vale a pena ser assistido por toda sua linguagem cinematográfica e claro por ser uma obra-prima do mestre Bernardo Bertolucci.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Protected by WP Anti Spam